Rio Tietê

O Rio Tietê é um curso de água brasileiro conhecido nacionalmente por atravessar, ao longo de seus 1 100 quilômetros de extensão, praticamente todo estado de São Paulo, de leste a oeste, além de marcar a geografia urbana da maior cidade do país, a capital paulista. O Tietê nasce no município de Salesópolis, a 22 km do oceano Atlântico, e corre para o interior de São Paulo, sendo assim, foi muito utilizado pelos índios e bandeirantes para acessar as vilas que se encontravam ao longo do rio.

Ao contrário da maioria dos rios brasileiros, o Tietê se volta para o interior e não para o oceano, caracterizando, dessa forma, um rio com drenagem endorreica, característica que o tornou um importante instrumento na colonização do Brasil, A sua nascente fica a 1 120 metros de altitude, na Serra do Mar, mas apesar de estar a apenas 22 quilômetros do litoral, as escarpas da serra obrigam-no a fluir em sentido inverso, atravessando o estado de sudeste a noroeste até desaguar no lago formado pela barragem de Jupiá, no rio Paraná, na divisa com o estado do Mato Grosso do Sul, entre os municípios de Itapura e Castilho, cerca de 50 km a jusante da cidade de Pereira Barreto.

Localização

O rio Tietê nasce a 840 metros de altitude, na cidade de Salesópolis (estado de São Paulo), situada na região da Serra do Mar. Atravessa o estado de São Paulo, na direção de leste a oeste. Ele deságua no rio Paraná, no município de Itapura (divisa entre São Paulo e Mato Grosso do Sul).

Informações importantes

O rio Tietê possui 1.136 quilômetros de extensão e, em seu trajeto, banha 62 municípios paulistas. Faz parte de 6 sub-bacias hidrográficas (Alto Tietê, na Região Metropolitana de São Paulo); Piracicaba; Sorocaba/Médio Tietê; Tietê/Jacaré; Tietê/Batalha e Baixo Tietê).

O potencial hidrelétrico do rio é bem utilizado na atualidade. No percurso, encontram-se instaladas diversas barragens. As principais barragens são: Edgard de Souza, Pirapora do Bom Jesus, Laras, Anhembi, Rasgão, Barra Bonita, Ibitinga, Três Irmãos e Promissão.

História e Poluição do rio

Este rio teve uma grande importância na história do país, pois serviu de rota para os bandeirantes, no século XVIII. Estes aventureiros, que ampliaram o território brasileiro, usavam o Tietê para chegar ao interior do estado de São Paulo, atingindo a região de Mato Grosso. Durante o percurso, os bandeirantes fundaram diversas cidades.

Nas épocas seguintes, foi muito utilizado para a navegação e até mesmo para a prática de esportes náuticos, principalmente, na região metropolitana de São Paulo. Foi a partir da década de 1950 que este quadro mudou. Com o crescimento populacional e industrial desordenado da cidade de São Paulo, o rio passou a receber o esgoto doméstico e industrial no trecho da cidade, deixando suas águas poluídas e contaminadas.

A partir da década de 1990, após forte mobilização popular, o governo do estado de São Paulo deu início ao projeto Tietê Vivo. Este projeto, ainda em execução, tem apresentado bons resultados. A poluição das águas do rio já apresenta diminuição, pois boa parte do esgoto tem recebido tratamento. Espera-se que, nos próximos anos, o rio recupere as boas condições de suas águas como nas décadas passadas.

HISTORIA DO RIO TIÊTE

Para quem não sabe, nem sempre o rio Tietê foi tão poluído quanto é hoje, pelo contrário, suas águas eram tão limpas e navegáveis que os bandeirantes no século XVIII o utilizaram como rota. E foi através do rio que esses aventureiros ampliaram o território brasileiro, formando diversas cidades entre o interior de São Paulo e Mato Grosso.

E durante muito tempo o rio serviu como navegação e também para a prática de esportes náuticos até mesmo na região de São Paulo, contudo, foi a partir de 1950 que o destino do rio estava começando a mudar. Com o grande avanço da cidade em termos populacionais e industriais, todo esgoto começou a ser jogado em suas águas e é assim até os dias de hoje.

Porém, no ano de 1990 aconteceu uma mobilização popular com a chamada Tietê Vivo, um projeto do estado de São Paulo que prometeu reduzir os agentes poluidores do rio, algo que estão conquistando dia-a-dia, pois esse projeto ainda está na ativa e, engenheiros acreditam que não demorará muito tempo para o rio voltar a ser o que era antes.

Outro ponto positivo para o projeto foi o afundamento do leito que iniciou-se em 2002, anulando as constantes enchentes do rio em períodos de chuva. A marginal Tietê, avenida que segue o leito do rio corta a cidade de São Paulo, portanto, quando há pontos de alagamento o trânsito do estado se torna caótico. Isso sem mencionar as doenças que acometiam as pessoas que sofriam com as enchentes, tais como: leptospirose, tifo, diarréias, entre outras.

Para você ter uma noção da dimensão desse rio, ele possui 1.100 quilômetros de extensão e em passa por sessenta e dois municípios paulistas, sem mencionar as seis sub-bacias hidrográfica nas seguintes regiões: Alto Tietê, Piracicaba, Sorocaba, Médio Tietê, Tietê/Jacaré, Tietê, Tietê/Batalha e Baixo Tietê. Vale mencionar que o rio também é utilizado para gerar energia, ele passa por algumas barragens, como: Barra Bonita, Ibitinga, Três Irmãos, Edgard de Souza, Pirapora do Bom Jesus, Anhembi, Laras e Promissão.

E para ter uma ideia de sua nascente, o rio Tietê nasce a 840 metros de altitude, na cidade de Salesópolis que fica situada na Serra do Mar no estado de São Paulo. Ele atravessa a cidade de leste a oeste e deságua no rio Paraná no município de Itapura que é divisa de São Paulo e Mato Grosso. O nome Tietê vem do tupi e significa caudal volumoso.